A Equilíbrio Controle Integrado de Pragas tem em seu portfólio de serviços esta atividade.

A Equilíbrio Controle Integrado de Pragas tem em seu portfólio de serviços esta atividade.

The following two tabs change content below.
Aguinaldo

Aguinaldo

Idealizador da Equilíbrio com seus 21 anos de experiência nas diversas áreas comerciais viu na empresa a oportunidade de levar suas convicções a frente com FOCO NO CLIENTE, tendo um olhar de fora para dentro, ou seja como nossos clientes nos veem.

Para pensarmos em entrar na área da sanitização, primeiramente devemos estudar e saber explicar aos clientes sobre o vírus.

Os vírus são seres que não possuem células, são constituídos por ácido nucléico que pode ser o DNA ou o RNA, envolvido por um invólucro proteico denominado capsídeo. Possuem cerca de 0,1µm de diâmetro, com dimensões apenas observáveis ao microscópio eletrônico.

Por serem tão pequenos conseguem invadir células, inclusive a de organismos unicelulares, como as bactérias. É parasitando células de outros organismos que os vírus conseguem reproduzir-se. Como são parasitas obrigatórios eles causam nos seres parasitados doenças denominadas viroses.

Os vírus apresentam formas de organismo bastante diferenciadas, mas todos possuem uma cápsula feita de proteína, onde fica o material genético desses seres. Esse material genético sofre modificações, ou seja mutações, com frequência, levando ao surgimento de variedades (subtipos) de um mesmo vírus.

Isso dificulta o seu combate e compromete a eficiência de várias vacinas, que são preparadas para combater tipos específicos de micro-organismo. A capacidade de sofrer mutações genéticas é uma das características que os vírus têm em comum com os seres vivos.

Além das vacinas e da ação dos nossos próprios anticorpos, também devemos agir de forma preventiva através da higiene pessoal e claro do tema do trabalho que é a Sanitização.

Sanitização é o termo biológico ou medicinal utilizado para o serviço de desinfestação que reduz o número de contaminantes bacterianos ou virais em níveis relativamente seguros. Significa também, reduzir micro-organismos, vírus e bactérias, críticos a saúde pública em níveis consideráveis seguros, com base em parâmetros estabelecidos, sem prejudicar a qualidade do produto e sua segurança.

Quando falamos em desinfectar, o termo não se enquadra para o vírus, pois significa inativar fungos e bactérias em superfícies rígidas. Para tal utiliza-se produtos que não alcançam os vírus. Agora que já temos o conhecimento básico de vírus, Sanitização, vamos entender que produtos podemos utilizar e de forma operacionalizar a atividade.

Àcido Peracético (PAA) – Trata-se de um sanitizante eficaz, porém funcionam bem para utilização em temperaturas frias (4C), são menos corrosivos e concentrado pode apresentar perigo para a segurança.

Amônia Quaternária – Compostos de amônia quaternária (CAQs) são surfactantes catiônicos altamente tóxicos contra microorganismos (fungos, bactérias e vírus) e por isso, são conhecidamente agentes com ação biocida. São bastante utilizados por diversos ramos da indústria farmacêutica alimentícia e etc, como desinfestantes ou sanitizantes .

Geralmente são inodoros, não mancham, não são corrosivos e relativamente não tóxicos ao homem. Funcionam bem em uma ampla faixa de temperatura e de PH, embora a atividade e eficácia seja maior em temperaturas mais quentes e em situações alcalinas.

Para fins de legislações a RDC35/2010 é a indicada. Devemos consultar a Fispq dos produtos e observar as instruções de dosagem e a utilização dos EPI’s ou a relação mínima de EPI que está disponível no Anexo da RDC nº 56 de 06 de agosto de 2008 e Protocolo nº 08.

Os equipamentos à serem utilizados podem ser pulverizadores, atomizadores (elétricos ou motores), jateadores, pulverizadores portáteis , utilização de panos para superfícies e maçanetas. Atentar para utilização de equipamentos indicados para cada local.

Os locais de aplicação são geralmente: paredes, tetos, pisos, mesas, maçanetas, braços de cadeiras, teclados, ou seja qualquer lugar que o homem puder tocar e possivelmente se contaminar, ao levar as mãos ao rosto.

A importância da limpeza do local

Orientar ao cliente sobre a importância de Proceder uma limpeza mecânica prévia da área e retirar os resíduos do local previamente a realização da sanitização.

Limpar as superfícies de toda área contaminada, bem como as superfícies potencialmente contaminadas, tais como cadeiras/poltronas, cama, corrimãos, maçanetas, apoios de braços, encostos, bandejas, interruptores de luz e a, controles remotos, paredes adjacentes e janelas, com produtos autorizados para este fim.

Lembrar que o uso de luvas não substitui a higiene adequada das mãos com água e sabão; O uso de álcool gel 70% é pertinente após higiene adequada das mãos, normas ou orientações de segurança: Após o procedimento de limpeza e desinfecção, nunca tocar desnecessariamente superfícies, equipamentos, utensílios ou materiais, enquanto estiver com luvas, para evitar a transferência de microrganismos para outros ambientes e pessoas.

Grupo técnico ABCVP (Associação Brasileira de Controle de Vetores e pragas)

Fonte: https://www.pragaseeventos.com.br/saude-publica/desmistificando-a-sanitizacao/

Compartilhar:

Comments are closed.